A Eterna Guerra dos Consoles

Dê uma lida no email abaixo, enviado para a EGM:

TODOS POR UM
Eu mantenho minha boca fechada a maior parte do tempo. Não reclamo dos nomes dos novos episódios de Star Wars, nem que o Solid Snake tem mullets. Mas tem coisas que não dá pra deixar passar. Eu tenho que me desfazer de várias centenas de dólares toda vez que um novo console sai, só por causa dessa compulsão que eu tenho. Eu estou empolgadaço com algum console next-gen em particular? Não. Eu tenho grana pra comprar qualquer um deles? Não MESMO. Mas eu sei que vou acabar passando a noite do lado de fora da Electronics Boutique para comprá-los no dia do lançamento.
Algumas pessoas recitam suas opiniões nos fóruns ou umas para as outras: “O Console A* vai detonar!” ou “Ninguém acredita no Console B!”. Não importa o quanto eles pareçam gostar de um deles, todos sabem que, se tivessem a grana, comprariam todos os três consoles do mercado. A galera passa o tempo todo diminuindo um console em favor de outro, mas eu acredito que a maioria dos gamers ficaria feliz com qualquer console no qual eles conseguissem colocar suas mãos ensebadas. Então por que começar a falar mal daquele que você não vai comprar agora? Você pode acabar comprando esse também, um dia. Quando o dia do lançamento dos novos consoles chegar, não vai ter nada a ver com especificações técnicas ou lealdade à marca. Só vai ter a ver com um monte de hardware e software matador para todos os gamers.

Will Herring
j_koei@coldmail.com

A carta foi publicada na EGM sim, mas a gringa. Há quase 5 anos atrás, em janeiro de 2002. Não parece, né?

Não posso dizer que trabalhar na Futuro é um completo mar de rosas o tempo todo, mas com certeza tem algumas coisas que são muito legais. E uma delas é a estante com praticamente todas as Electronic Gaming Monthly que já foram publicadas. E ontem calhou de eu catar a edição de Janeiro de 2002 para ler no metrô, na volta para casa. É impressionante perceber como a “vibe” de época de lançamento de consoles é sempre igual, não importa de qual geração estamos falando.

Eu não me lembro de como era na época do lançamento do SNES e do Mega Drive, mas não me surpreenderia nem um pouco se me dissessem que os “seguistas” atacavam os “nintendistas”, que atacavam de volta e vice-versa. Dá até pra imaginar alguns falando “ahá, mas no teu videogame não vai ter Phantasy Star!” e outros respondendo “quem precisa de Phantasy Star quando se tem Mario e Zelda?”, só para serem rebatidos com “mas você viu a velocidade do Sonic? O teu videogame não faz isso nem f*dendo!”. Eu diria que esses “arranca-rabos de lançamento” são justamente uma das coisas que fazem esse mundo dos games ser tão cativante.

O que nos leva de volta ao email do nosso amigo Herring. Ele serviu pra eu ver (ou relembrar) como as situações nunca mudam, só mudam os nomes. No texto original, o “Console A” era o GameCube e o “Console B” era o Xbox. Essa informação foi omitida, obviamente, por que era o único trecho que poderia denunciar que o texto não é atual. E como ele realmente se encaixa de forma perfeita no que vivemos hoje em dia! Basta trocar “Console A” por Wii e “Console B” por PlayStation 3 e essa carta poderia, facilmente, ser publicada na revista do mês que vem.

Portanto, quando você se incomodar com as infindáveis discussões em fóruns, lembre-se: sempre foi assim. E prepare-se, porque daqui a 5 anos (ou sabe-se lá quantos) vai ser igualzinho.

7 Responses to “A Eterna Guerra dos Consoles”


  1. 1 thebrazilianhub quarta-feira, 18/10/2006 às 6:55 pm

    Um projeto de interesse de todos os blogueiros WordPress. Você é top 100 e vai se interessar!

    Veja aqui: http://byebyeboingboing.wordpress.com/

    Diga-nos o que acha,sugestões e críticas!

  2. 2 Lucas Patricio sexta-feira, 20/10/2006 às 7:52 pm

    Fala Fábio, tudo certo?

    Antes de mais nada vou me apresentar melhor, sou o Lucas Patricio e trabalho em um porgrama de games de televisão que é transmitido no litoral de São Paulo, sou editor.

    Bom, gostei muito dos seus textos e dei muita risada com o post do W11, hahaha, ele realmente vicia, isso aconteceu comigo dia desses com um game de dança de está causando LER nas minhas mãos: DDR:Neowave…eta coisa viciante.

    Mas enfim, falando sobre a carta, é realmente curioso como o leitor esta certo não é mesmo? Eu por exemplo, tive um Nes, um SNes e amava a Nintendo até comprar um PSone…Aí ja viu, paixão a primeira vista. Aí veio Play2 e a paixão continuou, até que depois de crescidinho e com mente mais ampla em relação a games e a industria em geral, percebi que realmente agente critica o que agente não tem, ou no caso, não pode ter.

    E é verdade, as desmasiadas criticas feitas ao PS3 (me incluo nisso) são porque a realidade financeira da boa parte dos brasileiros (me incluo novamente) não permite gastar cerca de 3 mil reais em um console…E talvez isso gere as criticas, ou pelo menos, boa parte delas…

    O tempo passa mas o mesmo cenário “vibe”(como você mesmo ilustrou) acontece incrivelmente: igual.

    O duro é que na época do Snes e do MegaDrive a disputa era tão mais justa que simplesmente ouvir: “O console C tem graficos melhores e vai ter GTA…”

    É triste…Um grande abraço cara, espero poder passar mais por aqui😉

  3. 3 Igor sábado, 21/10/2006 às 1:11 pm

    É a mais pura verdade mesmo. Tem gente que parece que ganha dinheiro pra falar bem da marca X ou Y, e falar mal das concorrentes, é uma pena mesmo que as pessoas que façam isso acabem se fechando para os outros consoles porque por melhor que fosse o Mario, jogar Sonic também é uma ótima experiência.

  4. 4 Fabio Bracht sábado, 21/10/2006 às 8:21 pm

    Lucas Patricio: boa sorte no teu programa de games, cara. Eu tô ligado que essa tal de sorte ainda é muito necessária pra quem resolve trampar com games. Ainda mais em um mercado tão “tudo ou nada” quanto a TV. Te desejo sucesso! E, se tiver alguma coisa do teu programa no YouTube, ou coisa parecida, eu quero ver!🙂

  5. 5 Lucas Patricio sábado, 21/10/2006 às 11:20 pm

    Então Fabio, por causa de alguns problemas com a emissora, agente nao pode colocar (ainda) algumas coisas na net. Mas assim, depois eu posso te mandar um CD com um porgrama inteiro pra vc ver ^^

    Tem meia hora de duração e talz, cenários com croma (aquele paninho verde que se transforma em coisas inimaginaveis apos passar por um computador, hehe)

    A sorte realmente é algo que convivemos a cada dia, principalmente quando você é pequeno e ainda esta em um ramo “desacreditado”, mas agente faz de tudo para tentar colocar as ideas pra frente e tudo mais.

    Olha, lendo alguns textos seus e do Pablo, fiz uma edição da minha coluna nos sites Ngm.com e Wii-brasil.com, falando sobre o jornalismo de games no Brasil.

    Se quiser da uma lidinha em um tempo vago aqui ta o link: http://www.wii-brasil.com/?sub=lercoluna&id=53

    Grande abraço!

  6. 6 Elcio domingo, 22/10/2006 às 2:39 pm

    Fala Fábio, tudo certo?
    Acabei cando no seu blog de paraquedas.

    Estava eu procurando uma imagem no images.google com o título “vai tomar no cu”. Sim, era isso mesmo. A intenção era das melhores. Queria apenas uma imagem legal de alguém mostrando o dedo para uma brincadeira. Acabei trombando com aquela imagem do PS3 tirando com a cara da Sony e parte do seu texto mandado-a tomar lá.

    Por incrível que pareça eu ainda não havia visto está imagem e resolvi clicar. Acabei caindo aqui e gostei dos seus textos, então gostaria de parabeniza-lo por eles.

    Raramento leio blogs e mais raramente ainda guardo-os nos favoritos, mas o seu vai ficar lá.

    Desde a época MegaDrive x SuperNes eu não me interesso por videogames. Logo quando veio a geração seguinte com o DreamCast, N64 Playstation, etc eu acabei me focando na área de informática e não tive mais tempo para estes jogos. Acabei passando a jogar alguma coisa no PC e um jogo ou outro em algum console de um amigo quando ia fazer uma visita e tinha um tempo.

    Voltei a me interessar um pouco mais ano passado quando voltei a procurar jogos e avaliar a compra de um VG. Acabei lendo mais sobre Xbox360, PS3 e Wii (na época ainda era Revolution) que estavam por vir e acabei me apaixonando pelo novo controle da Nintendo.

    Bem, nem na época do meu Atari, Master System, Mega Drive ou SuperNes eu torcia por um ou outro. Embora na meus amigos vivessem em guerras sobre um jogo melhor que o outro e o outro que ia sair que ia ser melhor do que aquele. Outro que tinha mais botões e etc etc etc. Mas este controle da Nintendo realmente me deixou com um pé no seu novo console. Sabe quando você está para comprar algo, como um carro e vê AQUELE carro que você quer e por mais que te mostrem as qualidades de outro você não dá o braço a torcer e quer aquela? Ou aquela roupa? Aquele aparelho de som? Então, assim que estou me sentindo com esse novo console da Nintendo. Se eu pudesse eu compraria os três consoles de uma vez, mas, como não posso, vou ficar com o da Nintendo. Acredito que muito dessas brigas acontencem por isto que falei. A pessoa queria tanto aquela ou este que quando compra faz de tudo para justificar a compra e não aceita as críticas, comentários e brincadeiras dos outros. Infelizmente o mundo está cheio desses fan-boys/xiitas em várias coisas. É na música (Rock x Pagode, Metal x Mídia, Música nacional x Música internacional), no computador (PC x Mac, Windows x Linux), nos video-games (Nintendo x Sony), no futebol (Time A x Time B, Seleção A x Seleção B), nas cidades (Rio x São Paulo, RS x Paraná) e em vários outros lugares. Engraçado que até dentro dessas “divisões” existe briga como Jogador tal é melhor do que o outro, Versão tal do jogo é melhor do que a outra, banda tal é melhor do que a outra e por assim vai.

    Bem, quem sabe algum dia as coisas mudem e, ao invés de brigarem, as pessoas compartilhem para que todo mundo se divirta junto?

    Fica aí meu comentário, minha visita e meus parabéns, novamente, aos seus textos.

    Abraços!

  7. 7 Fabio Bracht segunda-feira, 23/10/2006 às 11:04 am

    Valeu, Elcio! Teu comentário foi muito legal.

    Eu que agradeço pela tua preferência, por ter gostado e por ter colocado nos favoritos.

    E, devo dizer que eu sinto a mesma coisa em relação ao Wii. O PS3 tem um número de funções e “features” incrível, além do fato de que vai ser possível fazer jogos inacreditáveis com todo aquele poder de processamento e espaço no Blu-Ray. Os jogos do Xbox 360 estão ficando cada vez melhores, e a experiência da Live é muito valiosa. Mas mesmo com todas essas qualidades, o Wii me conquistou do mesmo modo que o DS me conquistou há 2 anos e pouco atrás. Por ser totalmente novo, diferente, instigante, inédito.

    E, como a última coisa que eu sinto com o meu DS é “decepção”, vou mergulhar de cabeça no Wii.

    Abraço!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fabio Bracht's Facebook profile

Meus Outros Blogs

Add to Technorati Favorites



Browse Happy logo


%d blogueiros gostam disto: