E a NGamer Brasil chegou

Capa da Edição #1Depois de algumas semanas de espera e alguns dias de “bate-ponto” nas bancas, enfim consegui comprar a NGamer Brasil, a nova revista 100% Nintendo a chegar nas bancas do nosso país, pela Editora Europa.

Mesmo se ela fosse ruim (o que não é), já valeria a pena pelo simples fato de ser a volta do homem, a lenda, o mito, Eduardo Trivella em uma publicação Nintendo. Eu e grande parte dos gamers do Brasil conhecemos o Trivas (e o Pablo [Miyazawa] também, só pra constar) nos anos áureos da Nintendo World, quando Pokémon era febre e a gurizada se juntava nas locadoras pra curtir um multiplayer de GoldenEye 007 no Nintendo 64. Só o fato de ler o nome dessa lenda nas páginas de uma revista Nintendo de novo já vale, tranquilamente, os R$9,90. Ah, os previews de Conker’s Bad Fur Day e Metroid Prime

Mas deixando o saudosismo de lado, o que eu tenho a dizer é que a presença do Trivella na equipe não é, nem de longe, a única coisa bacana que a NGamer Brasil oferece. A partir de agora os fãs da Nintendo no Brasil têm algo inédito: opção.

Há duas revistas especializadas no país, cada uma com as suas forças e fraquezas. Como as da Nintendo World você provavelmente já conhece, vou falar do que eu gostei e do que eu não gostei na NGamer, por seção (já que eu tô com tempo).

NGExpress
A famosa seção notícias, que abre a revista após o editorial e o índice. Seção com a provável melhor diagramação geral da revista inteira. Mas é aquela coisa: provavelmente você já leu aquilo tudo na internet mesmo. Eu já tinha lido.

Previews
Extensos, com muitas fotos e inclusive algumas entrevistas com produtores (Opoona), os previews são realmente super completos. Em termos de diagramação, temos alguns altos e baixos. O preview mais importante dessa edição, o de NiGHTS: Journey of Dreams, por exemplo, eu achei bastante poluído por causa do fundo. Mas o de Zack & Wiki: Quest For Barbaros’ Treasure, em compensação, ficou lindo o suficiente pra ser considerado o dono das duas páginas mais bonitas da edição. E as duas últimas páginas da seção preview formam um eficiente mosaico dos games menos importantes.

Reviews
Clique para ver ainda maior Na prática, um review é sempre um review. Não há muito o que ser diferente. Um review é sempre uma opinião pessoal de um analisador a respeito de um produto analisado. Mas quem estava acostumado com os reviews tradicionais feitos pela NW vai encontrar algo bem diferente nas páginas da NGamer. Para começar, os textos são enormes em comparação. As análises mais importantes chegam a ocupar quatro páginas (se bem que, nesse caso, normalmente a primeira tem apenas uma grande arte do jogo e o nome dele em detaque). E à direita da última página há um painel com um resumo do jogo e do que foi dito no review. Boxart, ficha técnica, recursos utilizados, “O que é” o jogo e notas (de 0 a 10) separadas em quatro quesitos: visual, áudio, jogabilidade e inovação. No fim, uma nota geral de 0 a 100.
Considero muito importante, em épocas de Wii e DS, a revista dar uma nota para o quesito inovação de um jogo. A maioria deles acaba recendo notas baixas nesse aspecto (tipo Spider-Man 3), mas é bom para diferenciar aqueles que realmente usam de maneira criativa as novas funções dos consoles Nintendo. Só por curiosidade: nenhum jogo tirou mais que 7 em Inovação nesta primeira edição.
Outro ponto interessante (pode ser positivo ou negativo, dependendo do leitor) é o fato da revista analisar também jogos lançados em outras regiões. Por exemplo, nesta edição temos análise de Ouendan 2, o popular jogo de dança e ritmo que só foi lançado no Japão. Para quem curte importar games e não se importa com a barreira de linguagem (ou entende japonês), é bem bacana.

Universo Nintendo
Sabe a seção ComuNidade da Nintendo World? Então, a idéia é a mesma. Porém, a maior quantidade de páginas acaba dando margem a mais coisas inúteis/divertidas. Por exemplo: duas páginas inteiras só de screenshots do Mario morrendo em dezenas de jogos diferentes, sob o título de “100 Maneiras De Se Dar Mal”.

Dicas e Detonados
Ta aí um treco polêmico. Eu sou totalmente contra a inclusão de dicas e detonados em uma revista. Hoje em dia, quem precisa, consegue com muita facilidade na internet. Se não tem internet, algum amigo tem. Acho que não tem muita desculpa pra isso, a não ser a clássica (e absurda, pra mim, já que não consigo entender): “Vende mais”. Pior é que vende, o que me deixa muito impressionado. Enfim, mesmo eu achando desnecessário, pelo menos o detonado até que ficou bem legal. Já as dicas… não são dicas propriamente ditas (cheats), mas sim pequenos “conselhos” para se dar bem. Isso é ótimo, se for bem feito. Infelizmente não foi. As dicas de Mario Strikers Charged até que podem ser úteis, mas as de Mario Party 8 foram um desperdício de duas páginas, na minha opinião. Um monte de fotos grandes e absolutamente nenhuma informação que vá ajudar alguém a jogar melhor.

Seção “Download”
A NW tem a Retrô, a NGamer tem a Download. Quatro páginas dedicadas ao Virtual Console do Wii, falando de jogos antigos, lançamentos do mês e uma ou outra matéria sobre um console clássico (nesse mês: NEO-GEO). Interessante, mas confesso que foi a única seção que eu ainda não li.

Nintendus Brasilis
Pequena seção (só duas páginas nesta edição, até porque nem teria como ser maior) sobre novidades oficias da Nintendo no Brasil. Nada bombástico. Uma loja que colocou Mario Party 8 em demonstração gratuita, um campeonato de Wii Sports, lista de lojas que vendem produtos oficiais da Nintendo… Uma seção importante, mas que eu não sei se é capaz de se justificar. Talvez devesse ser uma sub-seção dentro da NGExpress.

Página 98
Sim, o nome dessa seção de uma página é “Página 98” mesmo. Só tem uma coluna do Trivas sobre histórias do passado da Nintendo e uma galeria com alguns Miis. Tem potencial pra ser uma seção bem divertida.

Agora algumas coisas mais subjetivas.

Presença do Trivella na equipe
Esse é um motivo muito pessoal e eu já falei sobre ele lá no início. Simples assim. Pra mim faz diferença.

Diagramações
Já vi gente falando isso a respeito da GameMaster, da Dicas & Truques e de outras revistas da Europa (a Revista Oficial do Xbox parece ter sido poupada dessa crítica. Por merecimento, já que ela é bastante bonita e organizada). Não é falar por falar, mas o consenso geral parece ser o de que a diagramação das revistas da casa sempre deixou um pouco a desejar. E o caso continua o mesmo com a NGamer. Que fique claro: não estou dizendo “a diagramação da NGamer é ruim. Ponto.” E eu também sei que a digramação usada é a mesma da revista inglesa. Mas isso não muda o fato de que muitas páginas ainda contém fundos meio poluídos (as piores são os previews de NiGHTS e Resident Evil: The Umbrella Chronicles), que tornam a leitura mais cansativa. Mais pra frente na revista tem uma matéria explicando todo o hardware do Wii que é praticamente impossível de ler na ordem, já que as caixas de texto e as imagens se ligam de formas muito entranhas e nem um pouco fluídas. Até agora não achei o box de número 11.😛
Mas, como eu já disse, algumas outras seções ficaram muito bonitas, como a NGExpress, a Universo Nintendo e alguns dos previews e reviews.

Textos não assinados
Mesmo que tenha sido um gringo, eu quero saber quem escreveu a matéria “Clube Nintendo”, falando sobre as outras desenvolvedoras que criam jogos das franquias da Nintendo sob supervisão da casa. Aquela sobre o hardware do Wii eu também gostaria de saber quem escreveu, assim como as bizarrices da seção Universo Nintendo. Por que não dá pra colocar, pequeninho, no fim do texto ou abaixo do título, o nome de quem escreveu? Antigamente as revistas tinha “pilotos” e personagens no lugar de jornalistas, mas eu acho que hoje a coisa mudou um pouco. Alguém concorda?
Eu acredito que os nomes tenham sido omitidos por se tratarem da equipe na NGamer inglesa, e que eles serão devidamente colocados à medida que o pessoal brazuca for começando a escrever mais. Mas o fato é que na primeira edição muito pouca coisa foi assinada, o que é uma pena.

Reviews muito críticos
Esse provavelmente é o parágrafo mais pessoal desse texto, de modo que você pode deixar de lê-lo tranquilamente. E mesmo se quiser ler, pode discordar frontalmente de tudo o que eu tiver escrito (e até acho que provavelmente vai mesmo). Na verdade não é nem mesmo uma crítica à NGamer em si, mas a muitos dos veículo de games que fazem reviews no Brasil e no mundo. Pra quê reclamar tanto de tanta coisa irrelevante nos reviews?
Teve gente reclamando que no multiplayer de Big Brain Academy: Wii Degree “você é forçado a adotar o esquema ‘passa o controle’, o que é bem tosco (vide WarioWare: Smooth Moves).” Como assim? O multiplayer “passa o controle” do WarioWare é uma das coisas mais divertidas que você pode jogar nessa sua vida maledeta. Definitivamente nem um pouco tosco. Prefiro não citar mais exemplos, já que pessoas podem não gostar (afinal, ninguém gosta de ser criticado, nem eu), mas muitos reviews estão seguindo a filosofia “do que eu posso reclamar aqui?” em vez de adotar o “o que é divertido aqui?”. É o que eu acho. Novamente, não é uma característica da revista toda, apenas de alguns textos.

Enfim. O que eu tenho a dizer é “viva”. Viva a opção de escolha! Viva os diferentes pontos de vista! Viva as maneiras diferentes de gostar da mesma coisa! Viva ter duas ótimas revistas de Nintendo para comprar a partir desse mês!

É claro que ela não é perfeita. Mas eu gostei bastante da NGamer e vou comprar todo mês, assim como compro todo mês a Nintendo World. E você? Leia e me diga.

De fato, eu comprei inclusive a NGamer inglesa pra ter uma idéia de como ela é lá fora. Amanhã (talvez) eu conto como as duas se comparam entre si e falo um pouco sobre como são as coisas para os leitores britânicos.

* * *

Fugindo totalmente do assunto do post, sabe o que mais chegou? Meu mega-detonado do Super Paper Mario, com todos os extras importantes e história traduzida. Tá aqui, ó.

21 Responses to “E a NGamer Brasil chegou”


  1. 1 Rafael segunda-feira, 25/06/2007 às 6:37 pm

    Nossa, opção agora é uma maravilha.
    Desculpe falar, mas cansei da Nintendo World faz muito tempo. A equipe, digna de uma revista à nivel de exterior, se tornou ruim, e notícias foram abaixando a moral da revista ainda mais.
    A NGamer vou comprar amanhã, pois já vi a inglesa e tem o Trivas que escreve muito bem.
    Abraços e valeu pela resenha da revista.

  2. 2 Rafael segunda-feira, 25/06/2007 às 6:38 pm

    Desculpe o duplo comentário, mas 80 PRA POKÉMON!
    Hahaha, vou ler e meter o pau.

  3. 3 Fabio Bracht segunda-feira, 25/06/2007 às 7:47 pm

    Devia ter ganhado mais ou menos, Rafael?

    Eu daria mais que isso, mas não achei a nota inapropriada.😛

  4. 4 Lucas Patricio segunda-feira, 25/06/2007 às 8:56 pm

    Eu tive uma prmeonição desse seu post, Fábio.

    Tava voltando do trabalho e passei na banca pra ver se minha ROX tinha chegado. Eu comecei a comprar a ROX, gostei, e passei a comprar todo mês.

    E voltei pra csasa pensando: devia ter visto se a NGamer chegou! mas não vi…Ai pensei: Hum, mas provavelmente alguém deve ter feito algum “review” da revista. A primeira que veio na minha cabeça foi você! Haha Daí entrei no blog e não deu outra: uma linda e detalhada análise da revista!

    Bem, deixando o puxa-saquismo de lado, vou comentar alguns detalhes.

    ———

    Antes de tudo é bom saber que o Trivas ta no ramo novamente. Esse é O cara!

    Bem, sobre a maneira de análisar o review eu acho que quatro fatores é pouco. Eu adicionaria “Diversão” e “Replay” nos fatores, aí acho que ficaria um bom quadro de análise. Mas só de saber que os textos são “volumosos” já fico animado, pois gosto de informação em peso. Por isso que leio a revista, e não um site (esqueça Finalboss, please).

    Sobre assinar as matérias concordo com você. Eu dou MUITA importancia para saber quem foi o fulano que escreveu. Gringo ou não, é bom saber o nome dele pra poder xingar/elogiar corretamente. E até mesmo para ter alguma referencia futura e coisa e tal.

    Sobre as dicas: Eu bati MUITO o pé no meu programa porque tem uma sessão (no terceiro bloco do programa) com cerca de dois minutos e pouco de dicas. Eu sempre achei aquilo enrrolação e tudo mais.
    Mas na boa Fábio: isso chama MUITO, mas MUUUITO a atenção. É bizarro! O meu programa que é regional recebe cerca de CINQUENTA pedidos de dica por email por DIA…É monstro…

    Mas mesmo assim, acho que dica em revista não é legal. As dicas ultimamentes andam bem chatinhas, não rolam mais códigos clássicos(UUDDLRLRBA. Defendo os detonados. São a alma das revistas deeesde não sei quando. Mesmo você achando material semelhante na internet, MUITO dificilmente é algo em português e sucinto. Detonado com várias dicas, imagens e boa diagramação é algo que não pode acabar.

    ————

    Pokémon é um jogão-ão-ão. Xinguei mto a gamespot quando vi a nota que eles deram pro Pokémon. mas aí quando acabei de fazer a minha análise eu vi que minha nota tinha sido um “8,9” (segundo os fatores do Gamehall.com.br)e eu sou um entusiasta do game. Então acho que 80, 70, 60 pouco importa. O jogo é bom pra caramba e pronto!

    Grande abraço Fábio!

  5. 5 Renato terça-feira, 26/06/2007 às 6:37 pm

    Legal seu post, Fabio! Certamente vou comprar essa revista, já que compro todas as outras. E a Nintendo World, vai voltar a ser mensal?

  6. 6 Lipedal quarta-feira, 27/06/2007 às 12:53 am

    Deu vontade de comprar agora, mas o mundo exclusivamente Nintendo não me interessa muito mais com EGM e opções mais “abertas”. Pra quem tem DS ou Wii, uma ótima pedida.

    Acho que vou experimentar pelo menos a primeira edição. Esse negócio de reviews grandões, explicando tudo, sempre me atraiu mais do que três opiniões pequenas pra cada jogo.

  7. 7 Daniel Oliveira quarta-feira, 27/06/2007 às 9:11 am

    Na minha opinião a página 98 com a coluna do Trivas foi uma das melhores. Acho que vc destacou pouco.

    A seçã o Download ta bem completa, pq tem os lançamentos JApas e europeu para o virtual console.

  8. 8 Daniel Oliveira quarta-feira, 27/06/2007 às 9:12 am

    sessão com S. É o sono =D

  9. 9 Lucas Comitre Martinez quarta-feira, 27/06/2007 às 5:25 pm

    Esse review foi uma benção pra mim. Sem ele eu nunca saberia sobre a NGamer a suas diferenças com a Nintendo World.
    Simplesmente porque eu não pretendo comprar a revista. Não sou um saudosista a Nindo World. Gosto da NW pacas e vou continuar comprando-a mas confesso que essa história da revista se tornar bimestral foi uma mão na roda.
    Como um vestibulando, sonho em ter dinheiro e não tenho dinheiro. Ainda mais com Julho aí; ô ‘mêisinho’ desgraçado, todo mundo faz aniversário em Julho! O que os pais dessa geração viram em Novembro?
    De qualquer forma a unica coisa que me faria comprar a revista hoje seria uma promoção de ssinatura daquelas que NW fez uns tempos atras (Zelda- Collector’s Edition de brinde).

    Chega de enrolação… falando da revista, senti falta do replay e achei muito perfeito esse negócio de inovação no quesito da nota; uma vez acho que mandei uma carta pra NW (na época que existia carta) com essa idéia de adotar inovação como quesito. Mas acho que é nessa geração que isso realmente importa, com essa carência/quase anemia de coisas novas no mundo de hoje.

    Quanto ao (quase) ultimo paragrafo sou obrigado a discordar do negócio de várias pessoas para um controle, acho estranho (mesmo sendo conveniente)… na verdade é só cisma minha… (e isso nem era o ponto principal da discussão…).
    E NOSSA!! “…muitos reviews estão seguindo a filosofia “do que eu posso reclamar aqui?” em vez de adotar o “o que é divertido aqui?””
    QUE FODA ISSO!!! Essa frase é daquelas pra se coloca em letras enormes no meio entrevistas ou em aquelas frases que representam uma ideologia. Sério, muito achei muito foda isso Fabio.

    Acho que é só, abraço e t´+!

    P.S.: Voc}ê apareceu no meu blog e não sabia que era meu blog… ¬¬ Tá certo que eu não me identifiquei lá mas… affe, respondo lá depois, isso aqui já tá enorme ^^

  10. 10 Lucas Comitre Martinez quarta-feira, 27/06/2007 às 5:34 pm

    Ah! e concordo com o Lucas (o outro…¬¬ piada sem graça duh!=D). As estratégias (ou detonados) são a essencia da revista. Mas defendo a déia de doses omeopáticas por edição… mesmo prejudicando a revista acho o detonado ir devagarinho meio que um charme (ficou gay isso¬¬).
    E é aí que vem as edições SÓ com detonados (saudades das primeiras NW especias… muito perfeito: Goldeneye + Link to The Past -Doom não importa =s).

  11. 11 andre nascimento sábado, 07/07/2007 às 3:22 am

    Estou muito feliz com a nova revista da nintedo,já estou ancioso p/a compra a 2.
    espero o detonado Dusk Do Hotel: Quarto 215 ds.
    materias sobre o Resident evil Umbrella e Resident evil 4 wii.

  12. 12 andre nascimento sábado, 07/07/2007 às 3:26 am

    Estou muito feliz com a nova revista da nintendo,já estou ancioso p/a compra a 2.
    espero o detonado Dusk Do Hotel: Quarto 215 ds.
    materias sobre o Resident evil Umbrella e Resident evil 4 wii.

  13. 13 chaD terça-feira, 24/07/2007 às 12:03 am

    A revista pode ser boa, mas achei beem cara. Alias, como a maioria das publicações ultimamente.
    Mas acho que o principal motivo pra não comprar é fidelidade a Nintendo World. Sim, eu sei que é besteira, mas me sentiria mal comprando-a e não a NW ( Deve ser algo parecido com o que os istas pensam/sentem ) E assim como não compro a NW, não compro ela também.
    E muito legal o trivella voltar, um dos grandes nomes da NW.

  14. 14 andrespangemberg@yahoo.com.br quinta-feira, 26/07/2007 às 12:14 am

    primeiramente parabems pela revista.
    espero o detonado do hotel 215 do nintendo ds.
    as datas oficias dos jogos; Sadness para wii e Resident Evil: The Umbrella Chronicles wii .

  15. 15 pokemonbr segunda-feira, 13/08/2007 às 8:18 pm

    Excelente revista é muito boa melhor do que a Nintendo Word.

  16. 16 anjodark quarta-feira, 15/08/2007 às 7:59 pm

    Fabito querido, ótimo review da Revista. Estou adicionando seu blog na minha listinha okay? =D

    É o ANjo Dark da NGM ^^

  17. 18 andrespangemberg@yahoo.com.br terça-feira, 05/08/2008 às 11:02 pm

    primeiramente parabems pela revista.
    espero o detonado do hotel 215 do nintendo ds.
    as datas oficias dos jogos; Sadness, The Conduit, e Resident Evil 0 do wii e o Fatal Frame IV Wii.

  18. 19 eduardo quarta-feira, 06/08/2008 às 10:22 am

    primeiramente parabems pela revista.E notícias sobre o novo Zelda,
    as datas oficias dos jogos; Sadness, The Conduit, e Resident Evil 0 do wii e o Fatal Frame IV Wii.

  19. 20 pepeoo segunda-feira, 16/02/2009 às 2:44 pm

    NGAMER É A MELHOR O UNICO PROBLEMA EÉ O PRECO


  1. 1 Papo de Fim de Semana « Blog GoLuck Trackback em sábado, 30/06/2007 às 1:54 pm

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fabio Bracht's Facebook profile

Meus Outros Blogs

Add to Technorati Favorites



Browse Happy logo


%d blogueiros gostam disto: