Brütal Legend: o pacto de Tim Shafer com os demônios do Rock, oferecendo horas futuras de nossas vidas em sacrifício

Brütal Legend na capa da Game Informer de Outubro/2007

“Há algo nos roadies que nós sempre gostamos. Eles são meio como os rock stars, já que vivem o estilo de vida rock ‘n roll. Mas eles não vivem isso em um lugar privilegiado, num pedestal. Eles vivem lá embaixo, nas trincheiras. Eles que botam a mão na massa; eles ligam os cabos nos amplificadores. Mas ainda assim eles vivem neste mundo de fantasia do rock. Há algo de nobre nisso. Eles não ficam com toda a glória, eles fazem ela acontecer. Um roadie é um herói que não se encaixa no mundo moderno. Ele quer fazer coisas grandes, tipo Rei Arthur. E se esse cara tivesse a chance de ser esse tipo de herói? E se ele pudesse entrar nesse mundo de fantasia, mas pudesse trazer o seu Camaro e a sua música junto? Criar um mundo para esse cara — é sobre isso que é este jogo. É sobre um roadie chamado Eddie Riggs.”

Este é Tim Shafer, falando sobre Brütal Legends, o novo jogo da sua produtora Double Fine, na abertura da matéria de capa da Game Informer desse mês. A capa e a matéria”vazaram” na internet há poucas horas atrás, “coincidentemente” junto com o primeiro trailer.

Dedique um momento da sua vida para assistí-lo:

Tim Schafer é um homem que nunca deu bola fora. Em seu currículo temos seis grandes jogos — grandes não no sentido de levar muitas horas para terminar, mas sim no sentido de fazer pessoas felizes. Os dois primeiros Monkey Island, Day of The Tentacle, Full Throttle, Grim Fandango e Psychonauts. Todos estas aventuras têm, ao menos em parte, o cérebro de Schafer por trás. E todas elas têm ainda um séquito de fãs saudosos e ardorosos, porque é isso acontece quando você faz jogos fodas.

(Eu me evergonho de dizer que, dentre estes, o único que eu joguei foi o que ilustra o cabeçalho do meu blog nesta data: Psychonauts. De fato, estou em processo de terminá-lo neste exato momento, jogando a conta-gotas, e estou adorando ter todas as minhas expectativas ultrapassadas. Não é à toa que o jogo rendeu tantos prêmios.)

E agora ele me vem fazer um jogo sobre rock, com Jack Black dublando o personagem principal! E querem que eu não fique empolgado?! É demais para a minha pobre cabeça!

Sabe-se pouco a respeito do jogo até agora (tudo que saiu foi este trailer e esta matéria de capa da Game Informer), mas sabe-se o suficiente. A história conta a lenda de Eddie Riggs, o roadie de uma grande banda de rock, que veste uma fivela amaldiçoada pelos demônios do rock. A fivela tem a forma da cabeça de um demônio, com uma enorme boca sorridente. Ao se machucar durante o trabalho, um pouco do seu sangue cai na boca, e Eddie é transportado para outro mundo, outro tempo, outra dimensão… sei lá onde. Mas é um lugar onde o rock, que é apenas um estilo de vida para poucos no mundo que o roadie conhece, é muito mais do que isso. O rock é o próprio mundo, neste lugar.

Lá ele encontrará um baixista tão poderoso que consegue curar as pessoas só com a vibração das cordas do seu baixo mágico. Lá ele pode usar os solos da própria guitarra para conjurar fogos e poderes extraordinários. Lá ele deve criar um exército de headbangers e derrotar os demônios que escravizam a humanidade, tonando-se ele mesmo o maior roqueiro deste mundo. Lá ele deve conquistar a garota no final.

Mas foda-se a história, não é verdade? O importante é que o jogo vai ter batalhas hilariamente sanguinolentas e diálogos sanguinolentamente hilários na voz de Jack Black, cortesia do Tio Tim.

Agradeçam direitinho a ele quando este jogo sair. Já sabem como, né? Comprando a droga do jogo, claro, e não fazendo-o passar pela mesma vergonha de Psychonauts, que parou de ser fabricado antes de vender míseras 400.000 cópias!

Tim Schafer
Valeu!

8 Responses to “Brütal Legend: o pacto de Tim Shafer com os demônios do Rock, oferecendo horas futuras de nossas vidas em sacrifício”


  1. 1 dooart quinta-feira, 18/10/2007 às 12:00 am

    Caham, caham. Eu já fechei Monkey Island I e II, Full Throttle e Day of the Tentacle. Várias vezes, cada um. O Grim Fandando e o Psychonauts eu joguei só um pouquinho.

    Mas foda-se. O que importa é que Brütal Legend tá chegando e eu posso acabar comprando uma merda de um 360 só pra jogar esse jogo. E também Assassin’s Creed, mas isso não vem ao caso.

  2. 2 Nakagawa quinta-feira, 18/10/2007 às 8:44 am

    QUÊ?! Que vergonha, Insano!

    Não jogou Monkey Island, Day of the Tentacle, Full Throttle e nem Grim Fandango?!

    ScummVM na veia, véio!

  3. 3 Claudio Prandoni quinta-feira, 18/10/2007 às 10:08 am

    Cara, joguei o Full Throttle muitas vezes e fico feliz de ver o mesmo cara abordar esse universo fantástico do rock’n roll.

    Confesso que ainda vejo esse Brütal Legend como um daqueles games dos quais ainda não tenho noção exata de como vai ser legal – mais ou menos como o Smash Bros. Brawl. Um game de heavy metal, ação frenética, a mente brilhante do Tim Schafer, e as dezenas de talentos vocais fantásticos tanto na dublagem como na trilha sonora. Ainda é coisa legal demais pra minha cabeça!

  4. 4 Fabio Bracht quinta-feira, 18/10/2007 às 10:11 am

    Pra falar a verdade eu joguei Grim Fandango. Ainda tô considerando voltar a jogá-lo pra terminar. É muito, muito bom, especialmente com a dublagem em português, mas tem tanto jogo disputando o meu tempo… =/

  5. 5 Argus quinta-feira, 18/10/2007 às 12:54 pm

    Fantástico. Se sair pra Wii, já é meu.

    Era o Black Sabbath com o Dio tocando no fundo?

  6. 6 Fabio Bracht quinta-feira, 18/10/2007 às 2:19 pm

    Argus, uma notícia boa e uma ruim.

    A ruim: ao que tudo indica, nada versão pro Wii. PS3/360 exclusive.

    A boa: sim, era o BS com o Dio. E, não apenas isso, mas o Dio (assim como muitos outros músicos de Heavy Metal) também faz as vozes de um personagem no jogo! Se tu entende inglês, lê aquelas scans que eu linkei, tem um monte de informações sobre isso. =)

  7. 7 Argus quinta-feira, 18/10/2007 às 8:46 pm

    Wow, que… sim, me viro com inglês. Vou dar uma olhada.

    Mas, porra, essas produtoras só tão fazendo pra 360 e PS3. Assim não dá =\ se for pelos gráficos, o Wii supera facin’, facin’ o trailer.

    E alguém lembra de Project H.A.M.M.E.R.? Seria legal com um machado =\

  8. 8 Walmir Guerra quarta-feira, 05/08/2009 às 5:28 pm

    Cara… Esse é com certeza o post que mais me deixo feliz e impressionado desde que eu frenquento esse Blog!!!

    Com muito esforço e suor consegui comprar meu PS2 (so pobre sim, pobre, Universitário, recebo um salário mínimo e moro sozinho… resumindo, um falido auhsuahushauhsuah) ai vem e me sai um game foda desse pra PS3, a plataforma mais cara do mercado… da vontade de me matar!!!

    To rezando, implorando a Deus (não sou nem religioso, mais a causa é nobre) pra esse game sair com uma versãozinha pra PS2, mesmo que a versão seja um lixo se comparado ao original, só pra eu curtir a sonzera e jogar esse game com um toque de genialidade que u não via desde God of War!

    Véi… se sair pra PS2 eu vo coloca as Lojas americanas como página inicial do meu navegador só pra comprar no lançamento!!!

    \,,/


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Fabio Bracht's Facebook profile

Meus Outros Blogs

Add to Technorati Favorites



Browse Happy logo


%d blogueiros gostam disto: