Archive for the 'Preview' Category

Brütal Legend: o pacto de Tim Shafer com os demônios do Rock, oferecendo horas futuras de nossas vidas em sacrifício

Brütal Legend na capa da Game Informer de Outubro/2007

“Há algo nos roadies que nós sempre gostamos. Eles são meio como os rock stars, já que vivem o estilo de vida rock ‘n roll. Mas eles não vivem isso em um lugar privilegiado, num pedestal. Eles vivem lá embaixo, nas trincheiras. Eles que botam a mão na massa; eles ligam os cabos nos amplificadores. Mas ainda assim eles vivem neste mundo de fantasia do rock. Há algo de nobre nisso. Eles não ficam com toda a glória, eles fazem ela acontecer. Um roadie é um herói que não se encaixa no mundo moderno. Ele quer fazer coisas grandes, tipo Rei Arthur. E se esse cara tivesse a chance de ser esse tipo de herói? E se ele pudesse entrar nesse mundo de fantasia, mas pudesse trazer o seu Camaro e a sua música junto? Criar um mundo para esse cara — é sobre isso que é este jogo. É sobre um roadie chamado Eddie Riggs.”

Este é Tim Shafer, falando sobre Brütal Legends, o novo jogo da sua produtora Double Fine, na abertura da matéria de capa da Game Informer desse mês. A capa e a matéria”vazaram” na internet há poucas horas atrás, “coincidentemente” junto com o primeiro trailer.

Dedique um momento da sua vida para assistí-lo:

Tim Schafer é um homem que nunca deu bola fora. Em seu currículo temos seis grandes jogos — grandes não no sentido de levar muitas horas para terminar, mas sim no sentido de fazer pessoas felizes. Os dois primeiros Monkey Island, Day of The Tentacle, Full Throttle, Grim Fandango e Psychonauts. Todos estas aventuras têm, ao menos em parte, o cérebro de Schafer por trás. E todas elas têm ainda um séquito de fãs saudosos e ardorosos, porque é isso acontece quando você faz jogos fodas.

(Eu me evergonho de dizer que, dentre estes, o único que eu joguei foi o que ilustra o cabeçalho do meu blog nesta data: Psychonauts. De fato, estou em processo de terminá-lo neste exato momento, jogando a conta-gotas, e estou adorando ter todas as minhas expectativas ultrapassadas. Não é à toa que o jogo rendeu tantos prêmios.)

E agora ele me vem fazer um jogo sobre rock, com Jack Black dublando o personagem principal! E querem que eu não fique empolgado?! É demais para a minha pobre cabeça!

Sabe-se pouco a respeito do jogo até agora (tudo que saiu foi este trailer e esta matéria de capa da Game Informer), mas sabe-se o suficiente. A história conta a lenda de Eddie Riggs, o roadie de uma grande banda de rock, que veste uma fivela amaldiçoada pelos demônios do rock. A fivela tem a forma da cabeça de um demônio, com uma enorme boca sorridente. Ao se machucar durante o trabalho, um pouco do seu sangue cai na boca, e Eddie é transportado para outro mundo, outro tempo, outra dimensão… sei lá onde. Mas é um lugar onde o rock, que é apenas um estilo de vida para poucos no mundo que o roadie conhece, é muito mais do que isso. O rock é o próprio mundo, neste lugar.

Lá ele encontrará um baixista tão poderoso que consegue curar as pessoas só com a vibração das cordas do seu baixo mágico. Lá ele pode usar os solos da própria guitarra para conjurar fogos e poderes extraordinários. Lá ele deve criar um exército de headbangers e derrotar os demônios que escravizam a humanidade, tonando-se ele mesmo o maior roqueiro deste mundo. Lá ele deve conquistar a garota no final.

Mas foda-se a história, não é verdade? O importante é que o jogo vai ter batalhas hilariamente sanguinolentas e diálogos sanguinolentamente hilários na voz de Jack Black, cortesia do Tio Tim.

Agradeçam direitinho a ele quando este jogo sair. Já sabem como, né? Comprando a droga do jogo, claro, e não fazendo-o passar pela mesma vergonha de Psychonauts, que parou de ser fabricado antes de vender míseras 400.000 cópias!

Tim Schafer
Valeu!

Anúncios

O mundo é um lugar mais feliz: Sonic confirmado em Smash Bros. Brawl!

New Challenger Approaching! - Sonic

Eu ia incluir isso como um update no post abaixo quando percebi a burrada que ia fazer. Como assim?! Essa é a notícia que 80% dos fãs de Smash Bros estavam esperando desde que Solid Snake falou “Showtime!” com um engraçado sotaque japonês no surpreendente final do trailer que foi exibido na E3 2006! Vamos fazer de conta que você já não leu no título e repetir, só por ênfase:

Sonic The Hedgehog, o ouriço azul que corre além da velocidade do som, foi confirmado essa manhã como um dos lutadores de Super Smash Brothers Brawl! E mais: o sapato vermelho dele vai ir de encontro ao boné vermelho do Mario assim que eu pôr as mãos nesse jogo!

Sonic em Eldin Bridge

Talvez, apenas talvez, você não entenda o motivo da minha empolgação. Dê então uma boa olhada nas screenshots espalhadas pelo post. É o Sonic… em Eldin Bridge! É o Sonic… olhando feio pro Link! É o Sonic… entrando de sola do Mario! É o Sonic… pagando de B-Boy em Shadow Moses!

Sonic olhando feio pro Link

Qual é! Todo mundo tem que admitir que isso é a própria definição de “huge news”! Aquele joguinho potencialmente tosco que põe Mario e Sonic todos bonitinhos e amiguinhos pra disputar 100m rasos como se isso fosse a coisa mais normal do mundo não conta. Legal pelo contexto histórico, claro, mas seja sincero: você prefere os dois partindo para a porrada (ainda mais no hilariante e descontraído mundo de Smash Bros) ou vendo quem consegue atirar um peso em maior distância?

Quem me conhece sabe que apesar de respeitar todos os gamers e seus gostos, por mais diferentes que sejam dos meus, eu sou fã da Nintendo. Logo, seria de se esperar que eu gostasse mais do Mario do que do Sonic. Mas isso não acontece.

Primeiro, porque eu era “Seguista” na época de ouro dos 16 bits. Tinha o Mega Drive e achava ele bem melhor, apesar do SNES ter uma variedade maior de jogos. Mas o Mega Drive tinha vários que eu adorava, como ToeJam & Earl, Shadow Dancer, Road Rash… e claro, os Sonics. A verdade é que eu não conhecia direito o SNES, tanto é que, quando conheci, deixei de achar que o Mega era melhor. Afinal, ele não tinha Chrono Trigger, Yoshi’s Island, Super Metroid…

Sonic pagando de B-Boy em Shadow Moses

Mas, acima disso, eu sempre preferi o Sonic ao Mario, como personagem. Não estou falando dos jogos, porque aí sim o Mario seria campeão indiscutível na minha opinião. Os jogos do encanador são, em média, muito superiores aos do ouriço, ainda mais depois que o Dreamcast faliu. Mas como personagem, o Sonic é muito mais legal. Nos primóridos da minha pré-adolescência, quando essa tal de internet ainda era coisa nova pra mim e o hpG era a febre da molecada nerd, eu até tinha esse site chamado SonicGate (depois SonicGate Evolution), onde eu colocava artes, emuladores, roms, gifs animados, notícias e wallpapers que eu mesmo fazia no Photoshop 6. Pena que não existe mais.

Não sei… tudo no mundo do Mario é simpático, colorido, inofensivo, como um bom desenho que passa sábado de manhã (só que com mais cogumelos). Já o Sonic sempre foi mais hardcore. É difícil controlá-lo, ele exige mais dos teus reflexos. Apesar do mundo dele também ser colorido e cheio de bichinhos fofos (nenhum problema com isso), ele em si é mais bacana. Não sei explicar direito essa parte da minha preferência. O Mario é tipo um amigo que eu gostaria de ter. O Sonic (por mais bizarro que isso seja) se aproxima mais de um herói que eu queria ser.

Mas chega de papo abre-coração. O Sonic está lá, e no dia em que Super Smash Bros Brawl for lançado (a má notícia é que ele foi adiado de novo) eu te espero na WFC. Vou te acertar tão rápido que você só vai ver um borrão azul.

Sonic entrando de sola no Mario!
Não te dá um formigamento nos dedos só de ver isso?

Top 10: Atualizações que mais me empolgaram no Smash Bros Dojo!

Smash Bros Dojo - LogoBem típico da Nintendo: prometer um jogo para o lançamento de um console e só lançá-lo mais de um ano depois do prometido. Já aconteceu antes, e tornou a acontecer com Super Smash Bros. Brawl, o jogo mais esperado do Wii para todo mundo que não está tão ansioso assim por Super Mario Galaxy.

Pra aproveitar a magnitude desse lançamento (não nos esqueçamos que estamos falando da sequência do jogo mais vendido do falecido GameCube), a Nintendo resolveu, pra variar apenas dessa vez, não soltar as notícias grandes pouco a pouco, como quem controla com mão de ferro tudo o que nós podemos ou não ficar sabendo.

Em vez disso, foi contruído um site/blog e colocado na mão de Masahiro Sakurai, o ilustríssimo designer do lustroso joguinho. E melhor ainda: mesmo que seja uma mísera migalha, ele é obrigado a atualizar a bagaça todo santo dia (dizem que sob pena de ter que jogar duas horas de Escape From Bug Island). No fim das contas, ainda é uma forma de controlar com mão de ferro tudo o que nós podemos ficar ou não sabendo, mas pelo menos o volume é maior.

E eu, um qualquer que nem sequer jogou mais de dez minutos de Smash Bros Melee (é sério!), resolvi que quero entrar no hype e usar o centésimo texto do 16-BIT ara eleger as atualizações causadoras dos dez maiores sorrisos de ansiedade. Os dez dias que mais me fizeram querer que 3 de Dezembro chegue logo.

Bom, pelo menos eu joguei bastante do Super Smash Bros clássico do N64. De fato, a tonalidade branco-Boo da minha pele é em boa parte devida às tardes de praia que eu não saí de casa pra ficar jogando SSB com o meu primo. Bons tempos…

Agora que eu já consegui enfiar no texto os nome sde todos os jogos da série Smash Bros, vamos à lista, por ordem de data que foram postadas.

Continue lendo ‘Top 10: Atualizações que mais me empolgaram no Smash Bros Dojo!’

Coelho & Cachorro

Yipye! Meu novo game saiu!Dor de cabeça = post rápido.

Tenho muito a dizer, mas tudo que vou falar hoje é que joguei a versão demo de Culture Shock, o primeiro episódio da nova aventura do cachorro Sam e do coelho Max. O que eu achei? Eu dei graças a Deus que aquilo era só um Demo e que acabou logo, porque se fosse um game completo e funcional, eu provavelmente estaria jogando até agora, com olheiras. E a minha dor de cabeça estaria mais forte.

Não é nenhuma obra de arte no quesito técnica, não tem gráficos impressionante e mesmo o som não vai quebrar nenhum paradigma (mudaram os dubladores?), mas é exatamente o game que eu estava esperando jogar. Diálogos e situações cômicas, como um telefone desaparecido e um roedor letrado que exige pagamento em queijo suíço, são a graça aqui, ao invés do HDR e bump-funckin’-mapping.

Baixe e jogue, por favor, por favor, por favor.

É disso que eu tô falando!

Tem uma coisa que eu digo sempre que tenho a oportunidade. Muitos já devem ter me ouvido falar (ou escrever) isso em algum lugar. O fato é que, pra mim, a sensação de ver a abertura de um novo Zelda, a música, os sons, a emoção de “eu vou começar a jogar um novo Zelda agora”, tudo isso junto forma, na minha cabeça, a melhor sensação que eu consigo ter em frente a uma TV. Eu sempre falo isso, mas nunca consigo dar um exemplo.

Agora eu consigo.

A terceira dimensão é inútil

Ultimate Ghosts'n GoblinsSério, vocês viram o trailer do novo Ultimate Ghosts’n Goblins? Se não viram ainda, vejam aqui. E culpem o WordPress por não me deixar colocar o player do YouTube aqui mesmo, na página. Seria bem mais fácil pra todo mundo.

Voltando ao jogo, a fórmula é a mesma de New Super Mario Bros., mas levada à uma perfeição inacreditável. A movimentação, os cenários, a chuva, os inimigos… e a clássica jogabilidade de Artur nos clássicos cenários da série. Eu não tenho um PSP e não pretendo comprar um, mas depois de jogar LocoRoco (meu review vai sair na próxima EGM Brasil) e depois de ver esse trailer, minha opinião sobre o bichinho está cada vez melhor!

[UPDATE:] Graças ao glorioso e prestativo Jota A (que postou o comentário me ensinando a publicar o player do YouTube no WordPress), aqui está o trailer magnífico de que eu estava falando. Enjoy:

Mais Sam & Max!

Sam & Max de volta!O último post era pra ser, na verdade, o que eu espero que esse aqui venha a ser daqui a algumas linhas. A minha intenção com o post anterior era simplesmente noticiar o anúncio de mais um game de Sam & Max, que aconteceu na E3 2006, mas eu me empolguei tanto com o jogo anterior que acabou saindo um mini-review, vejam só vocês.

Por isso que eu volto a tocar no assunto nesse post. O coelho e o cachorro favoritos dos fãs de adventures estão de volta — ou pelo menos vão estar, em breve. Eu colocaria o trailer aqui mesmo na página, mas parece que o WordPress não é muito amigo do YouTube, e talvez essa seja a razão pela qual eu não esteja conseguindo. Então, assista ao trailer no próprio YouTube.

Não sei quanto a vocês, mas já fico feliz só de ouvir a voz desses dois carinhas. Simplesmente não dá pra saber qual dos dois é mais engraçado, embora dê para saber com uma relativa facilidade qual dos dois é o mais engravatado. (Tu-dum, psh!)

Infelizmente, eu tenho algumas preocupações com esse game. Primeiro, que não inventem de desvirtuar a série com uma jogabilidade que não seja o clássico esquema point-and-click. Segundo, que mantenham as legendas. Terceiro, que mantenham os mini-games. Se seguirem esses três "pedidos" meus, eu não terei nada do que reclamar.

Procurando o trailer no YouTube, eu acabei descobrindo que existem vários episódios de uma série de desenho animado da dupla. É só entrar lá e procurar por "Sam & Max" (ou, claro, clicar no link da primeira frase deste parágrafo). Devem ser muito bons, mas eu só vou conseguir descobrir com certeza quando a minha conexão banda larga consultar um psiquiatra para ajudá-la a deixar de acreditar que é uma 28k.


Fabio Bracht's Facebook profile

Meus Outros Blogs

Add to Technorati Favorites



Browse Happy logo